[ editar artigo]

Um guia completo de como se tornar um polímata

Um guia completo de como se tornar um polímata

Você provavelmente já sabe o que é um polímata e por que se tornar um, então já deve se identificar. Eu nunca me contentei em ter apenas um interesse. Eu sempre me envolvi em muitas coisas. Ao longo dos anos, essas coisas variaram de natação a desenho vetorial, marketing, parkour, calistenia, redação para blogs e programação de jogos (para citar apenas alguns). Ao longo de tudo isso, no entanto, trabalhar com eventos permaneceu meu foco, o que eu diria às pessoas que "sou bom".

Além do mais, percebi que as pessoas que admiro também costumavam fazer muitas coisas diferentes, mesmo sendo especializadas em uma área específica. 

No artigo de hoje, vou tentar criar um guia de como você pode se tornar um polímata. Clique aqui se você quer ler mais sobre quais são as habilidades do futuro, de acordo com o Fórum Econômico Mundial.

1) Escolha quais habilidades você quer investir para se tornar um polímata.

A questão quando você quer se tornar um polímata, provavelmente, como foi comigo, é decidir em quais habilidades você gostaria de investir primeiro. São virtualmente infinitas as possibilidades que você acaba ficando preso. 

Minha dica é listar todas. Pode ser numa planilha mesmo. Por isso, eu criei uma planilha gratuita para você acessar e fazer nosso experimento.

Infelizmente, não há uma resposta concreta. Tudo depende dos seus objetivos e valores que você definiu. Eu posso lhe dar uma estrutura geral, no entanto. Numa outra aba, eu preenchi com o meu próprio exemplo.

Em seguida, você precisa avaliar quais habilidades e conhecimentos você já possui para se tornar um polímata. Além disso, você precisa avaliar sua capacidade em cada área. Você pode fazer isso da maneira que quiser, mas sugiro que você siga uma lógica na qual você anote todas as habilidades e conhecimentos em que puder pensar e avalie cada uma na escala de 0 a 5. É assim como penso em cada nível:

0 - Você sabe (quase) nada além do nome da área. Você quer aprender, mas não a praticou ou estudou.

1 - Você é um novato. Você começou a aprender, mas ainda não sabe fazer nada. Se você deseja colocá-lo em termos de faculdade, está nas primeiras semanas de um curso 101.

2 - Você é um iniciante avançado. Você pode fazer algumas coisas sozinho, mas ainda precisa de muitas orientações e fórmulas

3 - Você agora é competente. Você passou pelo material introdutório e está descobrindo onde aplicar as diferentes regras que aprendeu.

4 - Você é proficiente. Você pode fazer coisas que a maioria das pessoas nem pensa em fazer. Você não é perfeito e ainda precisa pensar no que fazer em determinadas situações. Mas você é muito bom.

5 - Você é um especialista. Você opera usando a intuição acima de tudo e, para um observador externo, seu desempenho parece mágico.

Em seguida, na coluna C, você preenche em qual nível você gostaria de alcançar. Certo? Assim você tem uma noção também do quanto você gostaria de investir em cada habilidade.

Depois de fazer essa auto-avaliação honesta, você precisa determinar:

  • Onde você deseja melhorar seu conhecimento / habilidade.
  • Onde você se sente confortável em manter.
  • O que você deseja adicionar.
  • Onde você quer ir fundo.

Vamos dividir cada uma delas:

1. Melhoria

Quando você se classificou em cada uma de suas habilidades de interesse, provavelmente percebeu algumas que gostaria que fossem mais fortes. Por exemplo, gostaria de melhorar minhas habilidades de Francês e programação em PHP. Anote essas áreas na planilha para poder começar a trabalhar nelas.

2. Manutenção

Em algumas áreas, você está perfeitamente satisfeito com seu nível e não tem interesse em ir além. Isto é bom. Não perca tempo aprimorando áreas que não são importantes para você.

Por exemplo, eu estou bem com minhas habilidades muito básicas de Organização de eventos e Automação. Eu sei o suficiente de organização de eventos para não me estressar e garantir que tudo ocorra conforme o esperado. Enquanto eu estiver atuando nessa área, não verei minha proficiência diminuir..

3. Adição

Essas são coisas sobre as quais você nada sabe, mas deseja aprender. São as áreas que você marcou "0" ou "1" ao lado da planilha de autoavaliação. Talvez você precise aprendê-las para se tornar um candidato melhor ou talvez apenas o interesse. Seja qual for o motivo, você deseja começar a aprender. Por exemplo, eu quero aprender Adestramento de cães para controlar melhor meus cachorros e sobre Captação de áudio para criar vídeos para a Polímatas.

 

4. Profundidade

Finalmente, você precisa identificar a área em que deseja se especializar. Este é o "tronco" do seu "T". Você já deve saber o que é essa área (para mim, é a organização de eventos e gestão de projetos). Pode ser uma área existente; por exemplo, o que você estudou na sua graduação ou que você tem maior experiência profissional. Ou pode ser algo que você não sabe nada, mas realmente sente que será útil e interessante. Independentemente disso, você precisa identificar essa área para poder se concentrar nela.

Como criar um bom equilíbrio das suas habilidades.

Para se tornar um polímata e um profissional verdadeiramente multipotencial, você precisa de habilidades que se complementem. Dando um exemplo drástico, você aprender organização de eventos, ferramentas de serralheria e história do Brasil, talvez não tenha muita ligação. Aqui vão algumas dicas.

Misture habilidades técnicas e comportamentais.

Se você não estiver familiarizado com a diferença entre habilidades técnicas e habilidades comportamentais, leia sobre a diferença entre hard skills e soft skills.

Você deve se certificar de que sua polimatia tenha uma boa mistura dos dois. Pessoalmente, estou inclinado a me dedicar muito apenas às hard skills, por isso tenho que fazer um esforço para construir para pensar nas habilidades comportamentais que quero desenvolver.

Concentre-se no que lhe é útil e interessante.

Existem muitas habilidades que as pessoas te dirão que você deve ter. Embora eu costume dizer que todo mundo deveria aprender sobre vendas, você deve se concentrar principalmente no que lhe interessa. Especialmente na área em que você escolhe se aprofundar, não escolha algo apenas porque é "comercializável" ou porque parece impressionante nas festas. Escolha algo que realmente o fascine e seja útil, porque é isso que o ajudará a progredir na vida, seja pessoal ou profissional.

Por isso, criei as colunas D e E. Nelas, você pode ler "Vai dar resultado" e "Vou ter problema", respectivamente. Coloque SIM ou NÃO.

Na coluna de Vai dar resultado, você coloca SIM se, se você crescer nessa habilidade, vai ter algum ganho direto e claro - seja financeiro ou econômico. Seja bem pragmático. Por exemplo, eu coloquei que SIM para a habilidade de cozinhar, porque eu vou deixar de gastar tanto com apps de entrega de comida. E coloquei NÃO para Adestramento de cães, porque não vou ganhar nada.

Na coluna de Vou ter problema, você deve colocar quase que o contrário: se você não aprender, isso vai te causar prejuízos ou perdas diretamente devido à falta daquele novo nível de habilidades (coluna C).

Se não tiver certeza, tente.

Se você não tem ideia no que deseja aprofundar, aprenda o básico de algumas coisas que parecem interessantes. Você descobrirá rapidamente em que vale mais tempo. Aproveite cupons de desconto na Udemy, aulas gratuitas de MOOCs, artigos gratuitos na internet e faça uma variedade de aulas para descobrir o que você gosta.

Não deixe que sua "área profissional" limite você.

Só porque você fez Administração, como eu, que você precisa se tornar um especialista em negócios. Você pode apreciar o conhecimento geral e os padrões de pensamento que a faculdade ou sua profissão ensina, mas saiba que não precisa tornar isso como sua carreira pra sempre. Você pode achar o design mais interessante, por exemplo. Se for esse o caso, aprenda design em paralelo.

2) Criando seu planejamento de aprendizado.

Agora que temos essas ideias, vamos entrar em detalhes práticos. Como se tornar um polímata e aprender mais no dia-a-dia? Eu descobri que o seguinte é a chave para o sucesso:

1. Crie um hábito.

Eu falo muito sobre hábitos quando estou conversando ou palestrando sobre o assunto. Mas isso é porque eles representam uma parte tão grande da sua vida (40% de suas ações diárias, de acordo com pesquisadores da Duke University). Então, quando você assume o controle de seus hábitos, ganha imenso poder.

Você precisa tornar o desenvolvimento do seu eu-polímata um hábito. Eu faço isso tomando cada área que eu quero melhorar ou manter e adicionando-a à minha lista de tarefas diárias. Certifico-me de marcar todos os dias e uso o para garantir que eu faça os que eu preferiria (atualmente estou aprendendo Alemão e aprendendo sobre captação de aúdio e vídeo).

Eu uso um app chamado Loop - Habit Tracker. Ele cria notificações permanentes (ou não, de acordo com suas preferências) no horário e dia configurados para te lembrar da tarefa. Eu uso desde 2016 - nunca desinstalei.

2. Trabalho em projetos.

Eu não uso o Loop para Organização de eventos, porque isso ocorre naturalmente e por demanda como parte do meu trabalho. Contudo, aprender um idioma ou mesmo estudar sobre edição de vídeo precisa ser um esforço pensado. Por isso, eu estou me organizando para lançar meu próprio canal do YouTube, assim eu recebo feedbacks, vejo como está indo e por aí vai.

3. Avalie regularmente seu progresso.

Tornar sua prática um hábito é o primeiro passo para se tornar um polímata, mas se você deseja melhorar, precisa avaliar seu progresso regularmente. Aqui estão algumas idéias de auto-avaliação:

  • Se você deseja testar uma área de conhecimento específica, leia um artigo recente do campo e avalie sua compreensão de 1 a 5.
  • Use a técnica de Feynman: Pegue um pedaço de papel e escreva tudo o que você sabe sobre o tópico. Você encontrará rapidamente lacunas no seu conhecimento.
  • Ensine sua habilidade a outra pessoa. Semelhante à técnica de Feynman (mas com feedback mais imediato), isso expõe áreas que você realmente não entende.
  • Se você estiver aprendendo um idioma, registre-se falando sobre um tópico aleatório por 5 minutos.

Apenas certifique-se de testar-se periodicamente e adaptar sua prática adequadamente, caso contrário, você estará girando suas rodas.

4. Dê atenção especial à sua área foco.

Para a área em que você deseja se tornar um especialista, você precisa prestar atenção especial ao seu progresso. Leia o Modelo Dreyfus e veja onde você cai na escala de Iniciante a Especialista. Além disso, procure um mentor que possa ajudá-lo depois que você tiver passado dos materiais de aprendizagem introdutórios.

5. Desconstruir habilidades.

Algo como "aprender programação" é um objetivo enorme e vago. Tão grande que pode parecer impossível; tão vago que será impossível se você não o tornar mais concreto. Para superar a sobrecarga, divida a habilidade. Por exemplo, você pode decidir se concentrar apenas em lógica de programação, depois ir pra HTML, CSS e depois partir pra uma linguagem mais complexa.

Se você seguir o que listamos, estará no caminho de se tornar um polímata e aprender mais.

Outra nota: não deixe que essa estrutura o limite. Embora se tornar um polímata o coloque à frente, você não precisa parar de se aprofundar em apenas uma habilidade. Torne-se um polímata, de várias formas. Apenas evite a armadilha generalista e realmente mergulhe fundo em uma área antes de decidir buscar profundidade equivalente em outra.

3) Priorizando as habilidades.

Usando do modelo de Eisenhower de priorização, criei uma coluna F na planilha com o critério. Se você marcou SIM para Vai dar resultado e Vai dar problema, você definitivamente deverá priorizar.  Se você marcou SIM para Resultado e NÃO para Problema, você deixa em segundo plano (avaliando depois).

Se você marcou NÃO para Resultado e SIM para Problema, talvez você possa Delegar a tarefa ou terceirizar, deixar que outra pessoa faça isso por você. Se você marcou NÃO para as duas, não faça (ou faça para seu prazer pessoal, depois que todas as demais estiverem agendadas).

Finalmente, você tem seu primeiro planejamento de como se tornar um polímata e aprender mais.

Construir um conjunto de conhecimentos e habilidades para se tornar um polímata é uma das coisas mais valiosas que você pode fazer para sua futura carreira e desenvolvimento pessoal. A combinação de melhores perspectivas de emprego e engajamento intelectual interminável é algo que a maioria das pessoas sonha, mas você será capaz de torná-la realidade através de seus hábitos e compromisso com o processo. Desejo-lhe sucesso em sua jornada.

E lembre-se, essa jornada será um desafio às vezes. Não desista! As recompensas valem a pena.

Ivan Chagas - Escola de Polímatas
Ivan Chagas
Ivan Chagas Seguir

Ivan Chagas organiza eventos desde 2011, é professor em cursos presenciais e virtuais há 4 anos, certificado como designer instrucional pela Universidade de Illinois em Urbana-Champaign.

Ler conteúdo completo
Indicados para você